O SIGINIFICADO DO LEMA NA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2024

por Dom Vital Corbellini

Bispo da Diocese de Marabá 

Vós sois todos irmãos e irmãs (cf. Mt 23,8). É o lema da Campanha da Fraternidade 2024, sendo esta coordenada pela CNBB: Conferência Nacional dos Bispos do Brasil[1] nas paróquias, comunidades, instituições, escolas, universidades. Por ser Palavra de salvação, do Senhor Jesus, pede o lema de todos os seus seguidores e suas seguidoras, a fraternidade entre as pessoas porque todos somos irmãos e irmãs no Senhor, não sendo pelo vínculo da dominação, do autoritarismo mas este é dado no amor. O contexto dito por Jesus foi que Ele criticou os fariseus e os doutores da Lei porque eles se apoderaram da autoridade de ensinar, porque havia a diferença entre os seus ensinamentos e os seus comportamentos, fator que resultavam na hipocrisia, na falsidade de suas convicções e ações. Uma separação acompanhava as coisas naquilo que eles diziam e faziam, de modo que Jesus condenou o comportamento daquelas pessoas, lideranças religiosas. Elas colocavam pesados fardos, jugos nos ombros dos outros, mas eles mesmos não os moviam nem sequer com um dedo (cf. Mt 23,4), para dizer que exigiam muitas das pessoas, porém não viviam a exigência da Lei, do amor fraterno e com Deus. Outro dado denunciado pelo Mestre Jesus era tudo aquilo que faziam era para ser admirado pelas pessoas. A recompensa era dada pelo elogio dos outros e não pela bondade do Pai.

            O Mestre é Jesus.

Ele era o verdadeiro Mestre, aquele que ensinava aos outros, porque ele vivia a palavra de Deus, sendo Ele a própria Palavra de salvação. No tempo de Jesus, os títulos de rabi, mestre conotavam poder, reconhecimento do ensino de alguns sobre os outros. Na comunidade dos seguidores de Jesus não será assim, porque segundo Jesus, único Mestre é Cristo e todos somos irmãos e irmãs. O seu evangelho é o único ensinamento que humaniza as pessoas e faz viver.

            Único é o Pai.

Jesus pede aos seus discípulos e discípulas que Deus é o Pai de toda a humanidade. Ele mostrou a centralidade do Pai celeste, como único Pai, de modo que todos somos filhos e filhas do Pai celeste, sendo irmãos e irmãs uns dos outros. A fraternidade humana possui como fundamento a paternidade de Deus.

            O Espírito Santo é o único Guia.

É o Espírito Santo, a terceira Pessoa da Santíssima Trindade que guia para a vida da pessoa em relação à vida comunitária. Ele dá a graça da intimidade com Deus e com os irmãos e irmãs. Pelo fato de que o Espírito é o único Guia, tem como conseqüência que todos somos irmãos e irmãs em Jesus Cristo, sendo iguais uns com os outros. Toda a atribuição de poder e de autoridade ganham sentido e valor pelo serviço, e não havendo o domínio e superioridade na comunidade pelo ensino, todos são irmãos e irmãs em Jesus Cristo.  

            Mudança de vida.

Entre os que seguem a Jesus não deve ser em primeiro lugar, como acima foi dito, a valorização do exterior, a admiração vinda dos outros para as pessoas que seguem ao Senhor. É Jesus o sentido maior na qual o discípulo, a discípula se aproximam da Lei. Assim uma mudança de vida faz-se necessária para viver a humildade, a caridade, o amor a Deus, ao próximo como a si mesmo. Sendo Jesus, o Verbo de Deus encarnado, a chave de sentido para a história, o alcance dá-se nele pela sua interpretação e prática,

            A fraternidade.

 Jesus quer de todos nós, e da humanidade, a fraternidade, porque somos irmãos e irmãs, tendo presente a realização da Vontade de Deus pela prática de suas palavras no cotidiano de nossas existências. O fato de que em Jesus Cristo somos irmãos e irmãs é um vinculo forte muito maior que os laços de sangue. Todos somos irmãos e irmãs no Senhor, e porque em Jesus temos um único Mestre, resultando disso a fraternidade entre as pessoas e os povos.

            A prática de vida.

As palavras de Jesus assumem o seu verdadeiro sentido por uma prática de vida. Quando na existência humana existe o esforço para que a Palavra de Deus, que é o próprio Jesus esteja na mente e no coração das pessoas, somos verdadeiros discípulos, discípulas, irmãos e irmãs uns dos outros, tendo os mesmos sentimentos de Cristo Jesus (cf. Fl 2,5).

            O Lema aponta para a fraternidade em  Jesus. Jesus nos quer próximos uns dos outros para que assim Deus Uno e Trino seja louvado e amado sobre todas as coisas e as pessoas se amam de fato em relação a Deus, ao próximo como a si mesmo.

[1] Cfr. CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil/Campanha da Fraternidade 2024: Manual. Brasília. Edições CNBB, 2023.

Artigos Anteriores

A CEIA DO SENHOR EM SÃO PAULO SEGUNDO SÃO JOÃO CRISÓSTOMO

por Dom Vital CorbelliniBispo da Diocese de Marabá Na missa do lava-pés, na quinta-feira santa, a segunda leitura (cf. 1 Cor 11,23-26) fala da ceia do Senhor segundo a tradição que São Pulo recebeu dos apóstolos e também da comunidade dos cristãos e das cristãs, na...

A ORAÇÃO SACERDOTAL DE JESUS EM SÃO CIRILO DE ALEXANDRIA

por Dom Vital Corbellini Bispo da Diocese de Marabá Estando próximo à semana santa, sendo também o discurso fundamental do Senhor Jesus realizado na última ceia com os seus discípulos, o início do capítulo dezessete do Evangelista São João, apóstolo do Senhor Jesus,...

A IMPORTÂNCIA DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2024

por Dom Vital Corbellini Bispo da Diocese de Marabá Nós estamos felizes e ao mesmo tempo nós louvemos a Deus Uno e Trino pela Campanha da Fraternidade 2024 dada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, cujo tema é: Fraternidade e Amizade Social e o seu Lema é:...

A SANTIDADE COMO DOM DE DEUS E A RESPOSTA LIVRE DO SER HUMANO

por Dom Vital Corbellini Bispo da Diocese de Marabá A santidade é dom de Deus para o ser humano, para que este viva a graça oferecida. É sempre Deus o iniciador da oferta divina, na qual a vida humana envolve-se pelo sim ou pelo não. Deus quer uma resposta livre das...

O DIA DE FINADOS EM ALUSÃO À VIDA ETERNA

por Dom Vital Corbellini Bispo da Diocese de Marabá O dia de finados, dois de novembro, está se aproximando de modo que é fundamental pensar na morte como passagem e na vida presente em ligação com a vida futura, a vida eterna. É o dia de fazer visita ao cemitério,...

O SÍNODO, A COMUNHÃO, A PARTICIPAÇÃO E A MISSÃO

por Dom Vital Corbellini Bispo da Diocese de Marabá O Sínodo dos Bispos em Roma possui como pontos fundamentais a comunhão, a participação e a missão. As três dimensões estão profundamente relacionadas entre si, sendo os pilares essenciais de uma Igreja sinodal,...

O ESPÍRITO SANTO E O SÍNODO

por Dom Vital Corbellini Bispo da Diocese de Marabá  O Papa Francisco colocou o Sínodo dos bispos 2023-2024 sob o selo do Espírito Santo, porque Ele é o protagonista do mesmo[1], fazendo com que a vida familiar, eclesial e social transcorra bem conforme o plano do...

A SINODALIDADE COMO DOM DE DEUS E COMPROMISSO HUMANO

por Dom Vital Corbellini Bispo da Diocese de Marabá A Igreja toda está em unidade com Roma aonde ocorre a Décima Sexta Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos sobre: Por uma Igreja sinodal, comunhão, participação e missão. Todos os seguidores do Senhor e que...

O TEMA DO CÍRIO DE NOSSA SENHORA DE NAZARÉ 2023 EM MARABÁ

por Dom Vital Corbellini Bispo da Diocese de Marabá O quadragésimo terceiro Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Marabá, 2023, tem um tema muito importante para a vida cristã e para todas as pessoas de boa vontade que seguem o Senhor Jesus, caminho, verdade e vida (Jo...

O VALOR DA CRUZ NO SEGUIMENTO A JESUS

por Dom Vital Corbellini Bispo da Diocese de Marabá A cruz tem um grande valor para os cristãos porque ela é a condição essencial para seguir a Jesus e receber a dignidade de se unir com Ele. A sua palavra direciona a vida no sentido da liberdade humana: “Se alguém...

“MORREREI, MAS NÃO TE DEIXAREI ENTRAR NA IGREJA”

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá São estas as últimas palavras de Akash Bashir, um jovem paquistanês de 20 anos, mártir de Cristo, a caminho da beatificação. Por causa dos inúmeros atentados contra as igrejas na cidade de Lahore, no Paquistão, alguns...

O VALOR DO AMOR FRATERNO EM SANTO AGOSTINHO DE HIPONA

por Dom Vital Corbellini Bispo da Diocese de Marabá Santo Agostinho foi um grande pastor e bispo em Hipona, no qual dirigiu a Igreja, a diocese, por mais de trinta anos, final do século IV e início do século V. Para todas as pessoas tinha uma palavra de fé, de...

VOCAÇÃO: CHAMADO DO SENHOR E RESPOSTA HUMANA

Dom Vital Corbellini Bispo da Diocese de Marabá A vocação é dom de Deus para a realidade humana. Deus sempre chama pessoas para o serviço do seu Reino no mundo e na Igreja. A resposta vem do ser humano diante do chamado. O Verbo de Deus encarnado também chamou pessoas...