NO CORAÇÃO DA IGREJA… EU SEREI O AMOR

por Dom Pedro José Conti

Bispo da Diocese de Macapá

Estas são palavras de Santa Teresa do Menino Jesus e da Santa Face, mais conhecida como Santa Teresinha. Nos primeiros dias após o Domingo de Páscoa recebemos, em Macapá, as relíquias desta Santa, uma das mais populares no mundo inteiro. Não fomos nós que escolhemos a data, foi a própria organização das celebrações dos 150 anos do nascimento dela que assim decidiu. Tivemos a possibilidade de continuar a alegria da Ressurreição de Jesus lembrando algumas características desta santa proclamada Padroeira das Missões (1927) e Doutora da Igreja(1997).

O mais interessante de Santa Teresinha foi a sua insistência nas “pequenas coisas” como caminho de santidade, mas com uma visão muito grande da sua própria vocação. Ela escreveu: “Compreendi que o Amor continha todas as vocações, que o Amor é tudo, que abarca todos os tempos e todos os lugares…em uma palavra, que é Eterno!” Santa Teresinha compreendeu que só o Amor fazia agir os membros da Igreja; que se o Amor se apagasse, os Apóstolos já não anunciariam o Evangelho, os mártires se recusariam a derramar seu sangue…“Então – as palavras são dela – exclamei: Ó Jesus, meu Amor, encontrei finalmente a minha vocação; a minha vocação é o Amor. Sim, encontrei o meu lugar na Igreja, e esse lugar, ó meu Deus, fostes vós que me destes. No coração da Igreja, minha Mãe, eu serei o Amor. Assim serei tudo…, assim o meu sonho será realizado”.

Por ocasião do 150º aniversário do nascimento de Santa Teresinha, Papa Francisco escreveu uma Exortação Apostólica (C’est la confiance)  apresentando a atualidade do exemplo e do ensinamento desta Santa. Tudo começa com a confiança total que ela tinha no Senhor Jesus e na misericórdia do Divino Pai. Estava convencida que os possíveis merecimentos dela não tinham valor algum, tudo era dom de Deus. Deste abandono nas mãos do Senhor surge o desejo de doar a sua vida como dom total para os outros. É a confiança que nos conduz ao Amor e assim nos liberta do temor; é a confiança que nos ajuda a desviar o olhar de nós mesmos e nos torna disponíveis para procurar o bem dos irmãos. O que fez de tão extraordinário Santa Teresinha? Isso também é surpreendente. Entrou na clausura do Carmelo com 15 anos e faleceu com 24, após grande sofrimento devido à tuberculose. No entanto, buscou um caminho de santidade, “uma pequena via muito direita, muito curta; uma pequena via completamente nova”. É o “doce caminho do amor”, aberto por Jesus aos pequeninos e aos pobres, a todos. Neste caminho das coisas pequenas Teresinha realça sempre o primado da ação de Deus. Por isso ela nunca usou uma expressão frequente naquele tempo: “hei de fazer-me santa”. A santidade também é fruto da confiança no Senhor.

Transcrevo aqui as palavras da Exortação Apostólica do Papa Francisco sobre a atualidade de Santa Teresinha (n.52). “Em um tempo que nos convida a fechar-nos nos próprios interesses, Teresina mostra a beleza de fazer da vida um dom. Em um período em que prevalecem as necessidades mais superficiais, ele é testemunha da radicalidade evangélica. Em uma época de individualismo, ela nos faz descobrir o valor do amor que se torna intercessão. Em um momento em que o ser humano vive obcecado pela grandeza e por novas formas de poder, ela aponta a via da pequenez. Em um tempo em que se descartam tantos seres humanos, ela nos ensina a beleza do cuidado, de ocupar-se do outro. Em um momento de complexidade, ela pode nos ajudar a redescobrir a simplicidade, o primado absoluto do amor, da confiança e do abandono, superando a lógica legalista e moralista que enche a vida cristã de obrigações e preceitos e congela a alegria do Evangelho”. Podemos chamar Santa Teresinha de “Doutora da síntese” da vida cristã. Uma curiosidade: até o ano de 2000, havia no mundo 1.700 Igrejas dedicadas à Santa Teresinha! No Brasil, com exceção de Nossa Senhora e de Santo Antonio, nenhum outro santo ou santa possui tamanha devoção popular. As “rosas” de Santa Teresinha são as graças de Deus que por intercessão dela continuam chegando até nós. 

Artigos Anteriores

MAS ELES NÃO FALHARÃO

por Dom Pedro José ContiBispo da Diocese de MacapáEis uma estória totalmente imaginária. Quando Jesus ressuscitado chegou ao céu houve uma grande festa marcada por cantos e muita alegria. Finalmente, os anjos tiveram a oportunidade de falar com Jesus. Um deles...

AS MÃOS QUE ORAM

por Dom Pedro José ContiBispo da Diocese de MacapáEsta é a história de um quadro famoso de Albrech Duerer. No fim do século XV dois amigos desejavam ardentemente tornar-se pintores. Precisavam estudar, mas ambos eram muito pobres. Por isso decidiram que um ficaria...

PARA QUE A VIDA SEJA PRECIOSA

por Dom Pedro José ContiBispo da Diocese de Macapá“Eu observava... o modo como meu pai olhava um passarinho deitado de lado à margem da calçada perto da nossa casa. – Está morto, pai? Eu tinha seis anos e não sentia a coragem de olhá-lo. – Por que morreu? – Tudo o que...

OS NOMES DE DEUS

por Dom Pedro José ContiBispo da Diocese de MacapáConta-se que os monges do Tibet, nas montanhas da Ásia, procuravam desde séculos reunir em um grosso código todos os nomes com que os homens, pelo mundo inteiro, tivessem designado Deus. Tratava-se de aproximadamente...

UMA VIAGEM NO ESCURO

por Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de MacapáUm pequeno avião avançava em meio à noite. De repente, caíram os sistemas de comunicação, a orientação da rota e o painel de controle apagou-se. O avião voava às cegas. Os pilotos tentaram inutilmente concertar o...

CREDO PASCAL

por Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de MacapáCreio em Deus libertador de todo o que oprime.Creio em Jesus Cristo, irmão nosso,solidário com os sofredores.Creio no vento do Amor,Espírito que transforma homens e mulheresem artistas do Reino.Creio na comunhão dos...

“ENTÃO TODOS O ABANDONARAM E FUGIRAM” (Mc 14,50)

por Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de MacapáChegamos à semana central do Ano Litúrgico e decisiva para a nossa fé. Se nos dias que precedem o Natal somos distraídos pelas compras e a correria de final de ano, a Semana Santa pode passar despercebida simplesmente...

COM SÃO JOSÉ PROCURAMOS JESUS, PARA ENCONTRA-LO NOS IRMÃOS E IRMÃS

por Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de MacapáNa próxima terça feira, após o Quinto Domingo da Quaresma, celebraremos a Festa de S. José, o padroeiro escolhido para Macapá e para toda a nossa Diocese. Além do tema da Campanha da Fraternidade deste ano...

ESTE HOMEM CONHECE O PASTOR

por Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de MacapáAo final de um jantar em um castelo inglês, um famoso ator entretinha os hóspedes declamando textos de Shakespeare. Disse que, a pedido, estava disposto a declamar outro textos. Um tímido padre que estava lá sugeriu...

O REFLEXO

por Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de MacapáUma mulher foi até a fonte do seu vilarejo. Era um pequeno espelho de água limpa e tinha arvores ao redor. Quando ela colocou o seu pote para pegar a água, viu um fruto colorido que parecia dizer para ela: - Me pegue!...

QUARESMA E CAMPANHA DA FRATERNNIDADE 2

por Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de MacapáA página evangélica da Transfiguração do Senhor (Mc 9,2-8), que encontramos no Segundo Domingo da Quaresma, está bem no centro do escrito de Marcos. Além do acontecimento extraordinário deixamo-nos conduzir pela...

QUARESMA E CAMPANHA DA FRATERNIDADE 1

por Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de MacapáTodo ano a Quarta Feira de Cinzas marca o início do Tempo Litúrgico que chamamos de Quaresma. Será uma caminhada de quarenta dias acompanhando Jesus rumo à sua Páscoa de Paixão, Morte e Ressurreição. Como cristãos...

NUNCA VAI SE ARREPENDER

por Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá“Você nunca vai se arrepender de fazer o melhor possível, ser gentil com todos, escutar antes de julgar, refletir antes de falar, fechar os ouvidos às fofocas, ser fiel aos seus princípios, ser bondoso com os...

BOMBEIRO DE VERDADE

por Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá- A doença de seu filho não tem cura. Não há mais nada a ser feito. Disse o médico à mãe do menino. Ela sabia das condições do seu filho. Por isso aproximando-se dele, lhe perguntou qual era o seu maior sonho. Ele...

NÃO É FÁCIL

Artigo Semanal de Dom Pedro José Conti, Bispo da Diocese de Macapá.

OS TRÊS BEIJOS

Artigo Semanal de Dom Pedro José Conti, bispo da Diocese de Macapá.

OS DOIS BURRINHOS

Artigo Semanal de Dom Pedro José Conti, bispo da Diocese de Macapá.