MISTER SMILE

por Dom Pedro José Conti

Bispo da Diocese de Macapá

O chamam Mister Smile, o embaixador do sorriso, porque, faz muitos anos, percorre o mundo para doar sorrisos a crianças nos orfanatos, nas ruas das favelas, nos hospitais de áreas em guerra do Iraque até a Ucrânia. Já passou por mais de 100 países e a sua fama chegou à ONU onde, em 2016 foi convidado a falar por ocasião da Jornada Mundial da Felicidade. O nome dele é Andrea Caschetto, 33 anos, nascido na Sicília (Itália). Quando Andrea tinha 15 anos foi submetido a uma cirurgia para retirar um câncer no cérebro. Isso reduziu a sua capacidade de memória. Do que viveu de 15 a 19 anos não lembra quase nada e pensou até em tirar a sua própria vida. Depois, com outros jovens com problemas, visitou uns orfanatos no Sul da África. O encontro com aquelas crianças mudou a vida dele. Começou a viajar pelo mundo. A pouca memória não lhe impediu de formar-se em Comunicação e conseguir um mestrado em Cooperação Internacional. Pela atividade que desenvolve não recebe dinheiro e dos direitos autorais dos livros que escreveu (três) uma parte é gasta em beneficência e outra é investida nas viagens. Prepara com afinco os encontros e sabe lidar maravilhosamente com as crianças “descalças” que chama de “meus professores”. É uma pessoa feliz porque consegue fazer felizes os outros.

Achei conveniente introduzir a minha reflexão sobre a página do evangelho de Mateus deste 30º Domingo do Tempo Comum apresentando uma história real, de alguém que, apesar das próprias limitações, decidiu gastar a sua vida em prol de outros também sofredores. Desta vez não para lamentar ou reclamar juntos, mas para comunicar alegria,  felicidade e esperança, bens que só podem estar juntos com muito amor e generosidade. É sobre o mandamento do amor que nos fala o evangelho. Os fariseus, decidiram “experimentar” Jesus querendo saber qual era o maior mandamento da Lei. A resposta, ou as respostas, eram objeto de disputas acirradas entre os doutores da Lei. No entanto, teria sido difícil não reconhecer a total superioridade do amor devido ao próprio Deus. Em Deuteronômio 6,5 estava escrito de amar a Deus “de todo o teu coração, de toda a tua alma e com toda atua força”. O próprio Jesus reconhece isso. (Mt 22,38). Podia ainda sobrar amor? Verdade que em Levítico 19,18 estava escrito “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”, mas até na formulação os dois mandamentos eram muito diferentes e nunca acabava a discussão sobre quem era, afinal, o próximo a ser amado.

Jesus, o Mestre, consegue a proeza e a novidade de juntar os dois mandamentos. Eles são “semelhantes”, ou seja, só o compromisso real de amar a Deus e ao próximo pode dar unidade à nossa vida como pessoas e como cristãos. De outra forma corremos o perigo de nos considerar muito amorosos com Deus por obedecer rigorosamente àquelas que acreditamos serem suas ordens e, talvez, depois, mantemos atitudes ou sentimentos de desprezo, indiferença ou coisas piores com os nossos irmãos feitos de carne e ossos como nós. Reparemos que a Bíblia não fala de “amor”, como uma ideia ou um conceito, mas de “amar” a Deus e ao próximo: uma ação, um fazer, um construir. De fato, não existe o amor em si, andando por aí, mas pessoas que amam e com isso fazem a experiência dos frutos do bem vivido, doado, partilhado. Somos nós que criamos complicações separando os dois mandamentos e vivendo, assim, uma vida cristã dupla. O fazemos por comodismo, porque o próximo nos inquieta e corremos para Deus. Ou, simplesmente, porque temos uma ideia mesquinha do Altíssimo, de um juiz e cobrador mais que de um Pai misericordioso e compassivo, um Deus que somente ama. Por isso, o próprio Jesus se identificou com os famintos, os desamparados, os sofredores: “foi a mim que o fizestes” (Mt 25 ). Continuamos a não conhecemos bem a Deus e aquele que veio para nos fazê-lo compreender melhor, uma vez por todas, Jesus Cristo. Continuamos pensando que Deus julgue e avalie as realidades humanas com os nossos critérios de merecimentos, aparências, sucessos e resultados. Não, ele reconhece o coração de quem ama, porque é ali mesmo que todos somos, ou não, “semelhantes” ao nosso Criador.

Artigos Anteriores

OS DOIS BURRINHOS

Artigo Semanal de Dom Pedro José Conti, bispo da Diocese de Macapá.

FALAR À TOA

Artigo semanal de Dom Pedro José Conti, Bispo da Diocese de Macapá

O TREM SILENCIOSO

Artigo semanal de Dom Pedro José Conti, Bispo da Diocese de Macapá

O NOVO MISSAL

Artigo Semanal de Dom Pedro José Conti, Bispo da Diocese de Macapá.

FOLHAS E FRUTOS

Artigo Semanal de Dom Pedro José Conti, bispo da Diocese de Macapá.

O OVO DA EMA

Artigo Semanal de Dom Pedro José Conti, bispo da Diocese de Macapá.

ELE VIVEU COMO UM SANTO E MORREU COMO UM HERÓI

por  Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá No dia 26 de outubro de 2007, Papa Bento XVI proclamou bem-aventurado Franz Jägerstätter que o próprio Papa definiu como um jovem objetor de consciência que lutou contra o nazismo durante a segunda guerra mundial e...

TEREMOS QUE DESISTIR DE TUDO

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Um rico lavrador entrou impetuosamente em casa e exclamou com voz aflita: - Antônia, há uma história terrível na cidade: o Messias chegou! – O que há de tão terrível nisso? – perguntou a mulher. – Acho o máximo. Por que...

PODERIA DAR CONTA SOZINHO?

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá O santo rei Enrique II da Baviera, junto com a esposa Cunegonda, toda manhã ia na igreja para participar da missa e receber a comunhão. Alguns dos mais importantes membros da Corte disseram para ele: - Majestade, não é...

O AMOR NÃO É AMADO

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Neste domingo realizaremos mais um Círio em honra de Nossa Senhora de Nazaré. De novo Maria nos convoca para rezarmos e cantarmos juntos os louvores a Deus, Pai de bondade, que olhou com especial predileção aquela jovem...

O FILHO MAIS QUERIDO

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Perguntaram um dia a um sábio persa: - Tu tens muitos filhos; a qual preferes? O homem respondeu: - O filho que prefiro é o menor até que cresça; o que está longe até voltar; o que está doente até ficar curado; o que...

DIRETORES EXECUTIVOS

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Eis alguns resultados de pesquisas feitas pela imprensa em 2022. Os 150 Executivos bem mais pagos na Índia receberam 1 milhão de dólares em média no ano passado. Um único executivo...

EU LHE ENTREGO A SUA LIBERDADE

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Hussein estava à mesa do jantar quando um dos seus escravos, acidentalmente entornou uma vasilha quente sobre os joelhos de seu senhor. O escravo, visivelmente aterrorizado, recitou um verso do Alcorão: - O céu pertence...

NÃO POSSO RECEBER A SUA OFERTA

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Um rico senhor ofereceu mil rúpias a um pobre religioso indiano. Este perguntou ao homem rico: - Você está me dando mil rúpias. Quanto é que você tem para si mesmo? - Muitos, muitos milhares de rúpias. – foi a resposta....

COMUNHÃO, MISSÃO E PARTICIPAÇÃO

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Neste final de semana realizaremos em Macapá a 24ª Assembleia Diocesana.  Parece-me correto partilhar um pouco deste acontecimento tão importante para a caminhada da nossa Igreja local. Com efeito, todos os batizados...

A CRIANÇA PULOU DE ALEGRIA

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Santa Teresa de Calcutá, mais conhecida como “Madre Teresa”, queria que todas as irmãs fossem alegres e sorridentes. Ela dizia: - Lembrem-se que, numa comunidade, a religiosa alegre é como o sol. A alegria é o sinal da...

LONGITUDE E LATITUDE

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Durante a aula de geografia, uma criança, em sua simplicidade, respondeu às perguntas da professora e disse: - A vantagem da longitude e da latitude é que quando estamos afogando podemos gritar em que longitude e...

SENHOR, É BOM FICARMOS AQUI

 Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Uma pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos aponta que aproximadamente nove de cada dez brasileiros (89%) dizem acreditar em Deus ou em um poder superior. O levantamento foi feito em 26 países, com 19.731 entrevistados,...

TINHAM DIREITO AO ALMOÇO

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá (PA) No início do século passado, uma pobre família do Sul da Europa decidiu emigrar para os Estados Unidos. As viagens eram de navio e duravam muitos dias. Levaram consigo bastante pão e queijo; era o que tinham para se...

Dom Pedro José Conti

Bispo da Diocese de Macapá