NUNCA VAI SE ARREPENDER

por Dom Pedro José Conti

Bispo da Diocese de Macapá

“Você nunca vai se arrepender de fazer o melhor possível, ser gentil com todos, escutar antes de julgar, refletir antes de falar, fechar os ouvidos às fofocas, ser fiel aos seus princípios, ser bondoso com os inimigos, pedir desculpa quando errou, ser honesto no trabalho, ajudar um necessitado, manter as promessas, enxergar o melhor nas ações dos outros”.

O trecho do evangelho de Marcos do 6º Domingo do Tempo Comum é uma página cheia de surpresas. Chama a nossa atenção a coragem do leproso de aproximar-se de Jesus e a certeza que tinha de ser curado. O homem que ficou bom não conseguiu silenciar sobre o acontecido. Em consequência disso, Jesus foi obrigado a ficar fora da cidade, “em lugares desertos”, mas o povo continuava a procurá-lo, vindo de toda parte.

No tempo de Jesus, os leprosos eram as pessoas mais excluídas de todas. Por causa da gravidade da doença e pelo fato de ser contagiosa, mas também porque, por ser tão vergonhosa, era considerada a maior punição de Deus para aquela pobre pessoa. Doenças e pobreza eram consideradas consequência de alguma falha grave com Deus, como, ao contrário, saúde e prosperidade eram vistas como uma benevolência ou bênção de Deus. Ainda hoje muitos pensam deste jeito, infelizmente. Por isso a aproximação do leproso a Jesus e o seu pedido revelam o desafio de alguém que não se conforma com aquela condenação social e religiosa. Ao curar o leproso e a tocar nele, Jesus quebra o muro da exclusão e, sobretudo, resgata a dignidade da pessoa humana em qualquer situação de miséria possa se encontrar. Mais uma vez o evangelho nos lembra que o amor de Deus começa com os seus filhos mais sofredores e afastados por uma sociedade – e religião também? – que privilegia os abastados, os certinhos, os que se autodefinem “perfeitos”. “Não são os que tem saúde que precisa do médico, mas os doentes. Não vim chamar justos, mas pecadores” (Mc 2,17) assim está escrito. Jesus ordena ao leproso, agora sadio, de se apresentar ao sacerdote para que fosse conferida a cura dele e de não divulgar o fato. Neste caso o homem desobedece. Não consegue conter a alegria de ter voltado a viver junto aos demais ou, simplesmente, ele louva e agradece a Deus gritando pelo benefício recebido, com total gratuidade, sem merecimento algum. A gratidão é um sentimento pouco valorizado, menos, em geral, quando nós mesmos reclamamos de não ver adequadamente reconhecido o bem que  fazemos. Usamos medidas diferentes. Jesus não precisa de manifestações exteriores, lhe basta a alegria do coração de quem renasceu à vida e, talvez, aprendeu também a doar sempre o melhor de si. Além disso, a divulgação podia gerar um equivoco muito grande: que as pessoas o procurassem somente para serem curadas das doenças corporais e não para acolher a novidade inteira do Reino de Deus por ele anunciado. Nada de novo; todos nós cobramos de Deus a saúde e quando a recuperamos esquecemos daquela outra doença pior que é o mal e o pecado do qual nem sempre pedimos com igual insistência e fé a libertação. Última situação; por ter “tocado” no leproso Jesus infringiu as regras, é considerado perigoso e, portanto, deve ficar afastado, fora da cidade. Não levam em conta o bem que fez. Talvez uma antecipação da condenação de Jesus aos gritos do povo a Pilatos: “Fora! Fora! Crucifica” (Jo 19,15).  Muitos, porém, continuavam a procurá-lo onde ele ficava, “em lugares desertos”. Assim foi a vida de Jesus, acolhida e desprezo, busca e exclusão. É bom entender que não será muito diferente também para os cristãos, seus discípulos. Jesus não desistiu da sua missão, não voltou atrás e nem se arrependeu, entregou a sua vida nas mão do Pai confiante sempre na vitória do amor sobre o mal e da vida sobre a morte. Não devemos nos arrepender do bem que fazemos. Afinal não carregaremos nada deste mundo a não ser a certeza de ter usado da melhor maneira possível dos dons que recebemos da bondade de Deus. Ele saberá nos julgar, com a sua misericórdia, também sobre aquilo que nem nós lembraremos mais. Arrependidos do mal feito sim, mas nunca do bem!

Artigos Anteriores

DIRETORES EXECUTIVOS

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Eis alguns resultados de pesquisas feitas pela imprensa em 2022. Os 150 Executivos bem mais pagos na Índia receberam 1 milhão de dólares em média no ano passado. Um único executivo...

EU LHE ENTREGO A SUA LIBERDADE

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Hussein estava à mesa do jantar quando um dos seus escravos, acidentalmente entornou uma vasilha quente sobre os joelhos de seu senhor. O escravo, visivelmente aterrorizado, recitou um verso do Alcorão: - O céu pertence...

NÃO POSSO RECEBER A SUA OFERTA

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Um rico senhor ofereceu mil rúpias a um pobre religioso indiano. Este perguntou ao homem rico: - Você está me dando mil rúpias. Quanto é que você tem para si mesmo? - Muitos, muitos milhares de rúpias. – foi a resposta....

COMUNHÃO, MISSÃO E PARTICIPAÇÃO

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Neste final de semana realizaremos em Macapá a 24ª Assembleia Diocesana.  Parece-me correto partilhar um pouco deste acontecimento tão importante para a caminhada da nossa Igreja local. Com efeito, todos os batizados...

A CRIANÇA PULOU DE ALEGRIA

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Santa Teresa de Calcutá, mais conhecida como “Madre Teresa”, queria que todas as irmãs fossem alegres e sorridentes. Ela dizia: - Lembrem-se que, numa comunidade, a religiosa alegre é como o sol. A alegria é o sinal da...

LONGITUDE E LATITUDE

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Durante a aula de geografia, uma criança, em sua simplicidade, respondeu às perguntas da professora e disse: - A vantagem da longitude e da latitude é que quando estamos afogando podemos gritar em que longitude e...

SENHOR, É BOM FICARMOS AQUI

 Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Uma pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos aponta que aproximadamente nove de cada dez brasileiros (89%) dizem acreditar em Deus ou em um poder superior. O levantamento foi feito em 26 países, com 19.731 entrevistados,...

TINHAM DIREITO AO ALMOÇO

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá (PA) No início do século passado, uma pobre família do Sul da Europa decidiu emigrar para os Estados Unidos. As viagens eram de navio e duravam muitos dias. Levaram consigo bastante pão e queijo; era o que tinham para se...

AS SEMENTES NÃO SELECIONADAS

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Um irmão falou para o antigo Pai Poimen: - Quando dou um pouco de pão ou algo diferente ao meu irmão, os demônios desvalorizam a minha ação: teria sido dado para agradar o ser humano. O ancião disse: - Mesmo que isso...

TOTALITER ALITER

Dom Pedro José Conti Bispo Diocese de Macapá Quando ainda a língua latina era em uso, uma lenda medieval conta que dois monges de nome Rufo e Rufino, fizeram um juramento entre si: o primeiro que morresse devia voltar para dizer ao outro como era Deus. Combinaram que...

UMA FONTE DE ENERGIA INESGOTÁVEL

Dom Pedro José Conti Bispo da Diocese de Macapá Hoje os cientistas conseguem quantificar muitas coisas nas quais nem pensamos. Por exemplo podemos saber quanto CO2 – o gás carbónico que tanto preocupa os ambientalistas por causa do aquecimento global do planeta – é...

DOM PEDRO JOSÉ CONTI: O CORVO E AS MOEDAS

Reflexão para o 18º Domingo do Tempo Comum | 31 JULHO 2022 – Ano “C”  Era uma vez um corvo que gostava muito de juntar moedas de ouro. Vivia sobrevoando os lugares e cada vez que encontrava uma moeda bicava-a e a levava para sua casa, guardando-a dentro de um grande...

Dom Pedro José Conti: Três coices

Três coices Dom Pedro José Conti, bispo Num Zoológico, uma girafa se preparava para dar à luz. Muitas pessoas queriam presenciar o evento. A girafa permaneceu em pé e, para surpresa de todos, o filhote nasceu caindo de uma altura de quase dois metros. No chão, a...

Dom Pedro José Conti: Esconde-esconde

  Esconde-esconde O netinho brincava de esconde-esconde com um colega. Ele se escondeu muito bem e ficou esperando que o amigo fosse procurá-lo. Depois de ter aguardado por um bom tempo, o menino saiu do esconderijo e foi atrás do amigo. Este, de fato, nunca o tinha...

Artigo: Santidade, nada de santidade

Certa vez, por ordem do Papa, S. Filipe Neri visitou um mosteiro onde tinha uma religiosa que era considerada santa. Quando Filipe, que entendia muito bem de santidade, chegou naquele lugar, tirou os sapatos sujos de lama. Com um sorriso, ele disse para aquela freira...

O pastorzinho veio a ser Papa

Um dia, lá pelo ano de 1530, um frade de Áscoli (Itália) perdera o caminho. Encontrando por acaso um pastorzinho, aproximou-se do pequeno e perguntou-lhe: – Por onde é que se vai a Áscoli? – Sei, sim, senhor. Caminhemos devagar, a passo dos meus cordeirinhos, e eu o...

Maria Imaculada

O demônio apareceu a um monge disfarçado de anjo da luz e lhe disse: - Eu sou o anjo Gabriel e fui enviado a ti. O irmão, porém, lhe respondeu: -Tem certeza de que não foi enviado a um outro? Eu não mereço a visita de um anjo. Imediatamente o demônio foi embora. Neste...

O ganhador

Chegou o dia tão esperado dos Jogos da Juventude, uma competição esportiva entre os alunos dos colégios da cidade. João Pedro com os seus 14 anos, alto e forte, sabia que tinha chance de ganhar, na corrida, a prova de velocidade. Mário, seu colega, era, porém, o seu...

Pode ficar com o troco

Tem coisas que todos sabemos, mas que custamos a reconhecer. Por exemplo: quando nos relacionamentos pessoais e familiares começa a entrar o interesse através da troca de favores ou com promessas de dinheiro, algo quebrou. Este é o testemunho de uma mãe: “Certo dia,...

Nos braços de Jesus

Um casal de pessoas sem nenhuma fé tinha uma filha. Nunca tinham falado para ela de Deus. Uma noite, quando a criança tinha cinco anos, brigaram. A violência chegou a tal ponto que ele atirou na mulher e depois cometeu suicídio. A criança viu tudo. Depois de algum...

SÓ DEUS TEM PODER SOBRE TI

Artigo Semanal de Dom Pedro José Conti, Bispo da Diocese de Macapá.

NÃO É FÁCIL

Artigo Semanal de Dom Pedro José Conti, Bispo da Diocese de Macapá.

O QUE ESTÁS PROCURANDO?

Artigo Semanal de Dom Pedro José Conti, Bispo da Diocese de Macapá.

EPIFANIA – MAIS OFERTA, MAIS ALEGRIA

Artigo Semanal de Dom Pedro José Conti, bispo da Diocese de Macapá.